Estelionato: Delegado fala sobre golpe do Buffet aplicado em Arapongas

Mais de 30 pessoas foram vítimas de um golpe aplicado na cidade de Arapongas por uma empresa chamada Sonho Doce – Festas. As vítimas foram até a delegacia de Arapongas na manhã desta segunda-feira (18) registrar boletim de ocorrência.

Através de uma notícia encontrada na internet as vítimas souberam que os proprietários da empresa já teriam se envolvido em um caso semelhante em Minas Gerais, também com diversas vítimas.

Conforme uma das vítimas, Franciele, a festa de aniversário de sua filha estava prevista para acontecer na data de ontem (17), mas as decorações e os salgados não foram entregues e a proprietária da empresa não foi encontrada. ” Eu fiquei desesperada quando nada da festa foi entregue, tivemos que improvisar uma festa pra minha filha, corremos comprar enfeites e docinhos, a festa aconteceu, mas não era o que minha filha esperava. Até agora não consegui falar com a dona da empresa.” afirma a vítima.

Uma outra vítima teve seu casamento totalmente prejudicado pela empresa, que não fez a entrega das decorações e do buffet. Segundo uma amiga da noiva, a vítima do golpe teve que cancelar o casamento e precisou ser hospitalizada por conta do transtorno.

Segundo o delegado adjunto, Audair da Silva, 30 pessoas registraram boletins, porém, várias vítimas ainda não compareceram na delegacia. ” São muitas vítimas, todas estão trazendo provas de que foram lesadas pela empresa, desde contratos, conversas de redes sociais e cheques. A empresa atendia diversos tipos de festas, temos vítimas que contrataram para festas infantis e pessoas que contrataram para festas de casamento.” disse o delegado.

Ainda conforme o delegado, todas as pessoas serão ouvidas e as provas verificadas. ” Tudo será anexado ao inquérito e encaminhado para a justiça. Estamos tratando o caso como estelionato, tendo em vista a quantidade de pessoas lesadas, o prejuízo que todas as vítimas tiveram e que os proprietários saíram da cidade.” afirmou.

De acordo com o delegado, é possível que seja expedido um mandado de prisão preventiva para os proprietários. A equipe do Fato Atual está acompanhando o caso.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.