Reunião do Cismel dá início à implantação do Projeto Muralha

Prefeitos que integram o Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Cidadania de Londrina (Cismel) se reuniram na manhã desta quinta-feira (15). Na oportunidade, o prefeito de Arapongas e presidente do consórcio, Sérgio Onofre, anunciou a licitação para a aquisição do primeiro lote de câmeras que vão ser implantadas através do Projeto Muralha. “Na prática, é o início de um amplo projeto que vai permitir aos municípios do Cismel um trabalho muito mais efetivo no combate à criminalidade. Podemos anunciar desde já que estão conosco nesta caminhada tanto o governo estadual quanto o governo federal”, anunciou Sérgio Onofre.

Segundo ele, as primeiras câmeras serão adquiridas pelo próprio consórcio. A presidência anunciaria um volume inicial de câmeras, porém os prefeitos pediram para que cada município apresente nos próximos dias suas demandas, adequando melhor o número de equipamentos às necessidades de cobertura dos pontos estratégicos de monitoramento. “Optou-se por um contrato de rateio, em que cada município vai pagar ao Cismel pelo número de câmeras já instaladas”, frisou Sérgio Onofre.

Ele já solicitou à assessoria que inicie o processo de licitação e também informou que ainda está mantida a possibilidade de emprego dos R$ 2 milhões solicitados neste ano ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Esses recursos estavam ameaçados porque no passado o Cismel não encaminhou a licitação dentro do prazo. Em maio, acompanhado pelo deputado federal Pedro Lupion (DEM), Sérgio Onofre esteve em audiência com o ministro em Brasília, entregou cópia do Projeto Muralha e pediu que os R$ 2 milhões fossem mantidos. “A informação que recebemos de Brasília é de que, se não mudarmos o objeto da licitação, que é o de implantar o sistema de monitoramento com câmeras, os recursos estão assegurados”, frisou o prefeito. Segundo ele, o governador Ratinho Júnior também afirmou que, se o governo federal colocar R$ 2 milhões, o governo estadual entrará no Projeto com outros R$ 2 milhões.

O Projeto Muralha visa o reconhecimento facial e de veículos vindos da tríplice fronteira Argentina, Paraguai e Brasil, considerando que a região serve de rota terrestre para tráfego de drogas e armamento, vindo a abastecer principalmente os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O trabalho será realizado através de sistema de câmeras de identificação facial e de placas veiculares que transitam na Região Metropolitana de Londrina e igualmente veículos regionais com indicativos/procedente de atos investigativos ou de furto/roubo.

O objetivo é ampliar o combate à criminalidade nos municípios Alvorada do Sul, Apucarana, Arapongas, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Califórnia, Cambé, Cambira, Centenário do Sul, Florestópolis, Guaraci, Ibiporã, Jaguapitã, Jataizinho, Londrina, Lupionópolis, Marilândia do Sul, Mauá da Serra, Miraselva, Porecatu, Prado Ferreira, Primeiro de Maio, Rolândia, Sabáudia, Sertanópolis e Tamarana. Basicamente, são municípios que integram a Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar) e/ou Cismel, presididos por Onofre. Segundo o IBGE, juntos esses 26 municípios somam uma população de 1.234.819 habitantes.

Fonte: Prefeitura Municipal de Arapongas