Estrutura da saúde pública de Arapongas é referência no Paraná

Qual o município do porte de Arapongas conta hoje com uma UPA com Pronto Atendimento Infantil 24h, um Pronto Atendimento Médico 24 Horas e três unidades de Pronto Atendimento Médico 18 Horas? Porém, a estrutura que a saúde pública do município tem em funcionamento para garantir atendimento permanente para a população de Arapongas – e em alguns serviços também para Sabáudia – vai muito além: são 29 unidades básicas de saúde (UBS) com 30 equipes da Estratégia Saúde da Família, 18 equipes de Saúde Bucal e dois Núcleos Ampliados de Saúde da Família (NASF), dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPS II e CAPS AD II), o Centro de Especialidades Jaime de Lima, uma Central de Ambulância, uma Farmácia Central e uma Farmácia Especializada, um Centro de Combate a Endemias, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Clínica de Fisioterapia (bem como fisioterapeutas nos três Centros de Convivência do Idoso), Vigilância Epidemiológica com Centro de Testagem e Aconselhamento, Central de Imunização, Laboratório de Análises Clínicas, Vigilância Sanitária, Centro Integrado de Saúde da Mulher (CISAM), Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), com Laboratório de Próteses Dentárias, Departamento de Agendamento, Assistência Social e Ouvidoria.

Arapongas conta ainda com uma rede de serviços credenciados que prestam serviços pelo SUS em diversas áreas, com destaque para especialidades médicas, exames laboratoriais, exames de imagem, fisioterapia, psicologia, fonoaudiologia e nutrição.

“Certamente, poucos são os municípios hoje no Brasil, do porte de Arapongas, que podem contar com uma estrutura como esta para desenvolver sua política de saúde pública”, assinala o secretário municipal de Saúde, Moacir Paludetto Júnior. Para garantir atendimento em toda essa frente, uma equipe com 870 profissionais entra todos os dias em campo, entre médicos, enfermeiros, dentistas, farmacêuticos, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais, auxiliares, técnicos, atendentes, agentes comunitários de saúde, agente de combate às endemias, condutores, entre outros.

O trabalho começa pela prevenção, através das 30 equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF). As equipes são formadas por um médico, uma enfermeira, um auxiliar técnico ou de enfermagem e os agentes comunitários de saúde (ACS), que totalizam 180 em todo o município. “Eles fazem visitas domiciliares, traçam o perfil das famílias e levantam a necessidade de consultas. Isso permite que a maior parte dos muitos problemas de saúde se resolva na atenção básica, ou seja, sem a necessidade de uma intervenção em um dos cinco Prontos Atendimentos Médicos ou mesmo no hospital”, acrescenta Moacir Paludetto.

O desafio é garantir os cuidados com o cidadão araponguense antes mesmo de ele nascer. É o que ocorre, por exemplo, no Centro Integrado da Saúde da Mulher (CISAM), onde as gestantes são atendidas. “Além das gestantes, que têm ali os cuidados do pré-natal, o CISAM também atende os lactentes e oferece o atendimento de pediatria. A equipe, portanto, é formada por médicos, ginecologistas, pediatras, enfermeiras, fisioterapeutas, dentista, entre outros profissionais”, explica Moacir Paludetto.

Porém, o marco da administração em favor das crianças na faixa de zero a 12 anos incompletos foi o Pronto Atendimento Infantil (PAI) Carlos Pugliese Júnior. Localizado em anexo à UPA, no Jardim Caravelle, foi inaugurado em julho do ano passado. São 321 m2 de área construída, contando com recepção, brinquedoteca, sala de amamentação, sanitários feminino e  masculino com fraldário, sanitário  para portadores de necessidades especiais, sala de triagem, farmácia 24 horas e dois consultórios infantis. O investimento total da obra foi na ordem de R$ 553 mil, com recursos do próprio município. Ali são atendidas em média 2.300 crianças por mês.

Para garantir a regularidade na prestação dos serviços, existe também a Ouvidoria. Além do atendimento na Secretaria da Saúde, ela faz também um trabalho itinerante, presente nas UBS, no Jaime de Lima, na UPA, Cisam, 18 Horas etc.

UPA e 24 Horas garantem novo ritmo de atendimento

Para a população em geral, o atendimento médico imediato tem hoje dois pilares principais. O primeiro é a Unidade de Ponto Atendimento (UPA). Localizada na Rua Tico-Tico Rei, no Jardim Caravelle, ela foi equipada e requalificada pelo Ministério da Saúde, em 2017, primeiro ano da atual gestão, passando a receber mais recursos e a oferecer mais serviços para a população. Hoje a UPA atende em média 10.500 pessoas por mês, operando 24 horas.

O segundo pilar passou a funcionar em julho deste ano. É o Pronto Atendimento 24 Horas Alberto Esper Kallas, um complexo que inclui também o Centro de Especialidades Médicas Jaime de Lima, o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) Dr. David Wilson Ahyub e a Farmácia Central. O Governo do Estado destinou R$ 800 mil para a reforma por indicação do deputado Pedro Lupion. O governo federal, por meio do então deputado federal Luiz Carlos Hauly, destinou outros R$ 100 mil para a compra de equipamentos odontológicos e a Prefeitura investiu outros R$ 400 mil em equipamentos e mobiliário. A liberação dos recursos aconteceu inicialmente na gestão do então secretário estadual de Saúde, Michele Caputo, e teve continuidade na gestão do atual secretário, Beto Preto. A inauguração contou com a presença do governador Ratinho Júnior, secretários de Estado, dos deputados estaduais Tiago Amaral e Cobra Repórter, além de prefeitos da região.

24 Horas

O Pronto Atendimento Alberto Esper Kallas conta com dois médicos, enfermeiras, técnicos de enfermagem e recepcionistas trabalhando em cada turno de 12 horas. A unidade oferece atendimentos de urgência e emergência 24 horas, todos os dias da semana, nos mesmos moldes da UPA.

O Centro de Especialidades Médicas Jaime de Lima atua com uma equipe de 15 profissionais, nas especialidades de cardiologia, neurologia, neuropediatria, endocrinologia, fonoaudiologia, psicologia, nutrição, reumatologia e clínico geral para o Ambulatório de Hanseníase e Tuberculose, além de Ambulatório de Feridas, Sala de Vacinas, Perícia Médica para Servidores, entre outras dependências. O horário de funcionamento é das 6h às 18h.

Já o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) Dr. David Wilson Ahyub conta com as especialidades de periodontia, endodontia, cirurgia, atendimento a pacientes com necessidades especiais, próteses e odontopediatria, além de laboratório de próteses dentárias. São 13 cirurgiões dentistas, oito auxiliares de saúde bucal e quatro técnicos de prótese dentária. O horário de funcionamento é das 6h às 18h. Destaque para a saúde bucal do município, que recebeu em 2018 o prêmio do Conselho Regional de Odontologia (CRO-PR) como segunda melhor cidade do Estado.

Centro de Especialidades Odontológicas

Na Farmácia Central atuam dois farmacêuticos e atendentes que realizam a liberação de medicamentos básicos e controlados, além de organizarem a logística de distribuição de medicamentos para as Unidades de Saúde. O horário de atendimento é das 6h às 18h, com capacidade de até 4.500 atendimentos/dia.

Além da UPA e do 24 Horas, reforçam a linha de frente da saúde pública de Arapongas os três 18 Horas (Flamingos, Zona Sul e Petrópolis). Eles oferecem atendimento de urgência e emergência de segunda a sexta, das 6h à meia noite, contando com médicos por turno para atendimento ambulatorial e emergencial, atendimento odontológico, enfermeiras capacitadas em emergência, atendimento para vacinação e farmácia 18 horas.

“Saúde é sempre prioridade e sempre demanda mais investimentos, temos consciência disso. Mas é inegável que avançamos muito nesses dois anos e meio e queremos avançar ainda muito mais. Com apoio da população, a parceria do governo e o apoio dos nossos deputados, vamos finalizar essa gestão deixando a saúde de Arapongas num dos melhores patamares da sua história. Não tenho a menor dúvida disso”, avalia o prefeito Sérgio Onofre.

Combate à dengue tem até “cinema” para as crianças

Arapongas também é destaque através do trabalho realizado pela equipe do Controle de Endemias no combate ao mosquito Aedes aegypti. Prova disso é que o município tem mantido o controle de focos do mosquito e um índice baixo de casos da doença, levando-se em conta o quadro crítico pelo qual passam outras cidades da região. Isso se faz com o intenso trabalho dos 70 agentes, com as visitas domiciliares, bloqueios com inseticidas, palestras e outras ações.

O trabalho é reforçado com iniciativas inovadoras, como o projeto “Cinema da Dengue”, com a apresentação de um filme, com duração de aproximadamente 20 minutos, para milhares de alunos da rede municipal de ensino e que reproduz informações sobre o Aedes aegypti — causador da dengue, zica e chikungunya, além de combate e prevenção às doenças. “Em uma espécie de vídeo-aula, uma equipe do Controle de Endemias apresenta esse material aos alunos, aprofundando o conhecimento, que leva também aos cuidados que cada um pode exercer em sociedade para o combate ao mosquito”, explica o coordenador do Controle de Endemias, Valdecir Pardini.

Mutirão tirou da fila quem sofria com catarata

Em 2017, uma parceria com o governo estadual, firmada pelo prefeito Sérgio Onofre, possibilitou o anúncio de 1.000 cirurgias de catarata, destinadas aos araponguenses em fila de espera. No mesmo dia, 400 pacientes passaram pela triagem oftalmológica. Todos os procedimentos foram realizados pelas equipes do Hospital de Olhos de Londrina (Hoftalon), coordenadas pelo Dr. Nobuaqui Hasegawa. Alguns pacientes aguardavam pela cirurgia há mais de dois anos.

Veja outras conquistas importantes do setor

CONSTRUÇÕES E REFORMAS

Em 30 meses de gestão foi possível, com o apoio do Estado e do governo federal, além dos investimentos próprios, construção da UBS San Raphael, reformas dos 03 Prontos Atendimentos, reforma do complexo de saúde onde funciona o Pronto Atendimento 24h, aquisição de uma nova casa para a UBS Jardim Primavera, além das reformas em andamento das UBS Araponguinha e Guadalupe.

MEDICAMENTOS

A Secretaria Municipal de Saúde também procura garantir a assistência farmacêutica, fornecendo medicamentos através da cesta básica nas unidades de saúde, além de medicamentos controlados. Já a Farmácia Especializada Municipal, inaugurada em novembro do ano passado, facilitou a vida de cerca de duas mil pessoas. Elas precisavam se deslocar até a sede da 16ª. Regional de Saúde de Apucarana para buscar os medicamentos de uso controlado. Agora passaram a ter acesso aos medicamentos aqui em Arapongas. Entre os beneficiados estão pacientes com asma, Alzheimer, bronquite, diabetes e esquizofrenia, entre outros.

 
FISIOTERAPIA

A Clínica Municipal de Fisioterapia Ivone Bonato Kümmel, inaugurada em agosto do ano passado, localizada na Rua das Garças 1006, contou com recursos dos governos estadual e municipal e realiza um trabalho diferenciado na fase pós-cirúrgica dos pacientes. É um atendimento individualizado e gratuito a pacientes do nascimento até os 59 anos de idade, com horários e dias agendados pelas UBS de cada bairro e encaminhamentos prévios do fisioterapeuta. Os atendimentos são voltados aos pacientes com fraturas em geral e que necessitem de tratamento conservador, pós-operatório ortopédico e tratamento pós-traumático.

CENTRAL DE AMBULÂNCIAS

A Central e Ambulâncias e Transporte Público da Saúde, só nos seis primeiros meses de 2019, realizou mais de 20 mil atendimentos em diversos setores, dentre eles viagens de curta e longa distância, com destaque para os setores de fisioterapia e hemodiálise. Também são realizadas viagens para diversas cidades, entre elas Curitiba e Londrina, para procedimentos ligados à saúde. “Hoje são realizados em média de 2.500 atendimentos por mês”, afirma o gerente do setor, Antônio Aparecido Ribeiro dos Santos, o “Toninho da Ambulância”.

Ele frisa que a Central também realiza o transporte de doadores de sangue para o Hemepar de Apucarana. Esse procedimento é realizado todas as sextas-feiras, às 13 horas. Atualmente, a Central conta com 15 funcionários para atendimento à população. Ela está localizada no estacionamento do Terminal Urbano (antiga Rodoviária).

SAMU

Arapongas também conta com os serviços do Samu, que em média realiza 700 atendimentos por mês. São três ambulâncias (duas básicas e uma avançada, equipada com uma UTI móvel), rodando 24 horas. Neste ano o município renovou toda a frota do SAMU, com quatro novas ambulâncias adquiridas com recursos dos governos federal e estadual, bem como emenda parlamentar do então deputado Osmar Bertoldi.

Frota do SAMU

VACINAS

Arapongas também conta com 13 salas de vacinação dentro das Unidades Básicas de Saúde, que realizam em média 1.600 vacinas mensalmente. Estratégias de campanha, como vacinação no período noturno, fizeram com que o município ampliasse a cobertura vacinal.

CAPS
Outro serviço valioso oferecido pela Secretaria de Saúde de Arapongas chega à população através dos dois Centros de Atenção Psicossocial (CAPs): um localizado na Rua Flamingos e outro na Marabu. São realizados cerca de 1.900 atendimentos por mês. O atendimento é feito por médicos psiquiatras, psicólogos, fisioterapeutas, pedagogo, assistentes sociais e por profissionais de enfermagem.

NOVA FROTA
Arapongas nunca teve uma frota tão nova e tão completa de ambulâncias e veículos à disposição da saúde. Foram adquiridos durante a atual gestão quatro ambulâncias Sprinter para o Samu, três ambulâncias Renault Master, duas ambulâncias Pick-Saveiro, uma minivan, um micro-ônibus, seis veículos Gol, duas caminhonetes Amarok, uma caminhonete Mitsubishi L200, um veículo Spin, uma Renault Duster e três motocicletas Hunda Fan.

Fonte: Prefeitura Municipal de Arapongas