Atividades de integração reforçam combate à violência contra as mulheres

A Campanha Internacional “16 Dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres” foi encerrada em Arapongas, durante um café da manhã servido nesta terça-feira (10), na Delegacia da Mulher. Contudo, os debates e ações efetivas e de integração entre as Forças de Segurança e apoio da sociedade em geral continuam em desenvolvimento, visando cada vez mais à diminuição nos casos de violência, sejam elas, físicas, psicológicas, moral, sexual ou patrimonial, e incentivo às denúncias.

“Tivemos uma campanha bastante intensa e bem aceita em Arapongas durante esses 16 dias, que reforçam os serviços já atuantes no município contra a violência as mulheres, executas pela Guarda Municipal, através da Patrulha Maria da Penha, Polícia Civil e Militar, poder judiciário, entre outros órgãos. Levamos informações importantes em diversos bairros, através de palestras, pit stops, exposições itinerantes nos CRAS’s, Cisam, UBS’s  e Paço Municipal. Realizamos também a campanha “ Laço Branco” – ação nacional da luta do homem contra a violência doméstica e familiar, entrega de materiais informativos, entre outras ações que visam leva maior conscientização e combate à violência que infelizmente atinge milhares de mulheres em todo o mundo. Com todos esses trabalhos queremos mobilizar toda a sociedade, chamando a atenção de todos.  Encerramos essa campanha internacional, porém,  os serviços continuam fortemente, para que qualquer situação de violência contra à mulher seja devidamente denunciada, levando aos trâmites legais e necessários para a segurança das vítimas. Essa é uma luta de todos”, disse a coordenadora da Patrulha Maria da Penha, GM Denice Amorim.

Ainda conforme Amorim, as atividades envolveram também uma capacitação na Guarda Municipal de Apucarana, que se encontra em fase de implantação de uma Patrulha Maria da Penha, seguindo os moldes executados em Arapongas. Para 2020, um novo projeto de combate à violência contra as mulheres será desenvolvido no município, voltado aos adolescentes dos Colégios Estaduais.

Para a delegada titular da Delegacia da Mulher, Thaís Orlandini Pereira, Arapongas tem desenvolvido um trabalho modelo no combate à violência contra as mulheres, favorecendo uma conscientização conjunta e ativa. “É fundamental  o engajamento por todos os lados, entre órgãos de segurança, saúde, educação, assistência social e sociedade civil. Sabemos que infelizmente muitas vítimas não têm coragem de denunciar seus agressores, por isso, é necessário que elas se sintam encorajadas, através de serviços sérios e especializados, como os que são realizados aqui no município. A Patrulha Maria da Penha desenvolve um trabalho de excelência nesse quesito. Com a Delegacia da Mulher viemos para somar ainda mais esforços”, afirmou.

A secretária de Assistência Social, Ismailda Ferreira de Lima da Silva, que também participou do evento, reiterou apoio nos trabalhos que solidificam a atenção voltada a causa. “Atuamos em reforço ao combate à violência contra a mulher no Caps, onde a psicóloga realiza o acolhimento do agressor, inserindo-o no projeto SIGA, já agendando os atendimentos com os profissionais competentes a cada caso, possibilitando a ele uma mudança em seu perfil. Damos respaldo e acolhimento também às vítimas, através de atendimentos e encaminhamentos especializados. Enfim, temos atuado ao lado da Patrulha Maria da Penha, fortalecendo esse trabalho essencial em meio à sociedade. Estamos juntos nesta nobre causa”, acrescenta.

Participaram também do encontro, a secretária de Segurança Alimentar e Nutricional, Niele Melo, e representantes dos órgãos de segurança de Arapongas. 

Dados Patrulha Maria da Penha em 2019

Conforme os dados, a Patrulha Maria da Penha registrou de janeiro a novembro de 2019, 317 atendimentos, 177 novas visitas, 101 visitas de retorno, 17 descumprimentos de medidas protetivas com prisão em flagrante, 20 descumprimentos de medidas protetivas sem flagrante, 38 relatos de descumprimentos, 50 encaminhamentos para serviços especializados (Creas, saúde, Fórum e delegacia), e 40 orientações/assistência.

Desde a sua implantação em 2016, até agora, a Patrulha Maria da Penha já efetuou o total de 1.357 atendimentos.

Em caso de violência contra a mulher: DENÚNCIE.  Nas situações em que existam medidas protetivas, as vítimas devem ligar: 153 ou 0800-645-9060 (GUARDA MUNICIPAL). Nos casos em que não há medida protetiva: 190 (POLÍCIA MILITAR).

Fonte: Prefeitura Municipal de Arapongas